domingo, 6 de setembro de 2009

Magia


As palavras escorriam, senti a mágica presente em seu processo de criação.
O espanto toma conta de mim. A mágica, um espectro responsável por tudo que ela faz e tece através de sua narrativa. Mágica. O que é mágica? Pergunta fantasma, martela em mim. A noite avança e nossa conversa rola, caudaloso rio.
Será que a magia percebida vem das uvas malbec do vinho de textura firme, púrpura e rústica ? O jantar frugal e a sobremesa me fizeram viajar no tempo.
Parto levando a inquietude daquela visão. Novo dia. Minha alma vaga em busca do não resolvido. Mulher destemida busca mudanças constantes pelo horror do mesmo. Observo a cena por vários ângulos e ao me deparar com dois acontecimentos históricos encontro a ligação. Cai o muro de Berlim e alguém escreve: “os momentos que revelam a descoberta de um mundo novo são mágicos, a surpresa é autêntica e a arte só poderia resultar vigorosa”. Os timorenses conseguem se libertar dos indonésios. Alguém escreve que para resgatar a independência precisam aprender a escrever a própria história com a emoção sentida. Estabeleço liga entre mágica e emoção. Deslizo pelo desejo de liberdade, pela falta de medo do desconhecido, pelo espanto, pelo desejo de viver a vida na dor e no amor. A mágica está na coragem de viver o novo, de quebrar barreiras e muros. A mágica está na emoção dos pequenos gestos, na alegria de ser e apenas se deixar viver. Mágica da criação.


Sonia Viana
30/08/09

Um comentário:

  1. Escrever é mágica possível, amiga. Parabéns!
    Caramelo

    ResponderExcluir